segunda-feira, 27 de agosto de 2012

JOHN WAYNE EM SÃO MIGUEL AÇORES - JUNHO 1963




John Wayne à saída do Teatro Micaelense,
Ponta Delgada 1963
[Foto do espólio da família Santos Figueira]

No dia 23 de Junho de 1963, pelas 20h20, atracava no então denominado Molhe Salazar em Ponta Delgada, um iate luxuoso com 288 toneladas e com 12 tripulantes chamado Wild Goose (Ganso Selvagem), cujo dono era a eterna estrela internacional do cinema, John Wayne.


                Foi o início de uma visita de quatro dias à nossa ilha, John Wayne e os amigos, a propósito desta visita, declararam que fora a leitura do livro do conhecido escritor americano de viagens e especialista em turismo Sidney Clark, “All the Best In Spain and Portugal” que os entusiasmara a incluir São Miguel no seu itinerário que tinha como destino final Espanha, onde Wayne iria filmar “O Mundo do Circo” com Rita Hayworth e Claudia Cardinale.



Filme "O Mundo do Circo" de 1964

                Durante a sua estadia, Marion Robert Morrison, nome de nascença de John Wayne (1907-1979), distribuiu simpatia à sua volta e não se coibiu de se juntar às verbenas de São Pedro no Relvão, onde dançou ao som dos ritmos da Orquestra de Teófilo Frazão. Visitou os principais pontos turísticos da ilha, nomeadamente as Sete Cidades, acompanhado por Victor Cruz, e as Furnas, a convite do cônsul americano de então, o Sr. William G. Keen.

                Também na companhia de Victor Cruz e do seu amigo e conceituado argumentista James Edward Grant, autor de vários filmes de Wayne – “Hondo”, “Inferno nas Alturas”, “Os Comancheros”, entre outros - visitou o Teatro Micaelense, onde foi recebido pelo Sr. Santos Figueira, Secretário da Sociedade Teatro Micaelense. Wayne e Grant assinaram o Livro de Ouro do Teatro. Na ocasião, James Edward Grant enfatizou que se sentia orgulhoso por “Álamo”, filme que escrevera, ter sido projetado numa sala tão categorizada. Realce-se que “Álamo” foi interpretado e realizado por John Wayne.

                Num serão em sua honra no Solar da Graça, John Wayne teve a oportunidade de conhecer o folclore micaelense através de uma atuação do Grupo Folclore de São Miguel, mas a noite seria longa dançando-se até de madrugada, animada pela música da Orquestra de Teófilo Frazão, que na ocasião, ofereceu a John Wayne uma composição da sua autoria chamada “Wild Goose”, precisamente o nome do iate do ator, cortesia que cativou sobremaneira John Wayne.

John Wayne ao leme do "Wild Goose"
                Hospedado no Hotel Infante durante a sua estadia em São Miguel, John Wayne deixou um rasto de simpatia por onde andou, como é exemplo maior, a forma como se incorporou nas Verbenas no Relvão, dançando e celebrando em verdadeira comunhão com o povo micaelense numa noite, sem dúvida, inesquecível para quem com ele privou.

                Às seis da manhã do dia 27 de Junho, o “Wild Goose” zarpou do Molhe Salazar, com pouca gente a assistir, devido à hora decerto, mas John Wayne, alto e poderoso na cabine do luxuoso iate, fez questão de se despedir destas poucas pessoas, acenando-as como a agradecer toda a cortesia que lhe foi dispensada. E como ele a mereceu, provando que as verdadeiras estrelas não precisam de se munir da arrogância para brilharem.


António Furtado da Rosa


1 comentário:

johnwchance disse...

Olá, António. Muito interessante este artigo sobre Wayne. Um familiar meu, por acaso também admirador de John Wayne, viu-o um vez, se calhar, até foi durante esta visita. Ou então no estrangeiro. E recorda-se que era uma pessoa, mais ou menos, como aqui retratas. Com uma presença física imponente, mas também afável. Um abraço.