sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

INTRODUÇÃO AO WESTERN SPAGHETTI

"O Tesouro do Lago da Prata"
de Harald Reinl - 1962
Entre 1960 e 1975, foram produzidos na Europa cerca de 600 westerns que foram severamente criticados ou votados ao ostracismo pela crítica de então e por serem financiados maioritariamente por companhias italianas foram baptizados como SPAGHETTI WESTERN, de início pejorativamente, no entanto os admiradores do género adoptaram a terminologia e usam-na carinhosamente até hoje para identificar qualquer western produzido por companhias europeias.

A partir de 1960 a produção de westerns nos Estados Unidos estagnou por imposição do próprio mercado e devido a problemas de distribuição que eram muito difíceis de obter na Europa e em resultado disso os produtores europeus começaram a produzir os seus próprios westerns, principalmente filmes do Zorro e pobres imitações dos Westerns-B americanos mal dobradas em inglês. A única excepção foi Savage Guns ou Tierra Brutal de 1961, realizado por Michael Carreras com Richard Basehart e Alex Nicol e que provou que era possível, com os meios certos, produzir um western com alguma qualidade em solo estrangeiro, mas foi sol de pouca dura...

No entanto, em 1962, o produtor alemão Horst Wendlandt e o realizador Harald Reinl juntaram-se para fazer O Tesouro do Lago de Prata, com o título original Der schatz im Silbersee, baseado numa das histórias do escritor de westerns alemão Karl May. Filmado na antiga Jugoslávia, tinha como protagonistas o actor americano Lex Barker e o francês Pierre Brice e foi um estrondoso êxito e extremamente popular em toda a Europa, inclusive em Portugal. Este êxito monumental animou os produtores europeus que produziram cerca de duas dúzias de westerns alemães, espanhóis e italianos, mas na sua maioria eram de fraca qualidade e estilisticamente não traziam nada de novo ao género, a única excepção deste período foi Duello nel Texas aka Gunfight at Red Sands de 1963 com o actor americano Richard Harrison, que protagonizou 17 spaghetti westerns, e realizado por Ricardo Blasco, o filme foi distribuído em Portugal com o título Gringo.

Foi então, que um desconhecido realizador chamado Sérgio Leone recebeu 200 000 dólares para fazer um western com um argumento baseado no épico de samurais Yojimbo de Akira Kurosawa e entra em cena um actor de televisão completamente desconhecido na Europa, Clint Eastwood, cujo papel de Homem sem Nome, seria a rampa de lançamento para uma carreira a todos os níveis brilhantes, como actor e como realizador. Ao filme juntaram-se o compositor italiano Ennio Morricone e o operador de câmara Massimo Dallamano e Leone fez o que era suposto ser mais um filme para passar despercebido como tantos outros, mas este filme violento, cínico e visualmente admirável, apresenta-nos o Homem sem Nome, um pistoleiro anti-herói cuja principal motivação é o dinheiro e os vilões são meros obstáculos a remover para o conseguir.
O filme foi severamente criticado pela crítica devido à violência retratada e por transmitir uma imagem pouco romântica do western, no entanto as audiências adoraram-no e POR UM PUNHADO DE DÓLARES lançou o género e o western nunca mais seria o mesmo....
© 1998 by John Nudge, originally published by imagesjournal.com
Thank you, John




1 comentário:

filomeno2006 disse...

Fernando Sancho, con su aire bonachón, haciendo de villano mejicano